Mais de 160 quilômetros de ramais são recuperados em Presidente Figueiredo

 

Produtores rurais e moradores de comunidades de Presidente Figueiredo estão sendo beneficiados com a recuperação de ramais do município, antes intrafegáveis. Somente nos últimos cinco meses, mais de 160 quilômetros já foram recuperados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Semisp), que deve finalizar o ano com 400 quilômetros concluídos. A iniciativa tem contribuído para o escoamento de frutas e hortaliças cultivados pelos agricultores.

De acordo com o subsecretário da Semisp, Marciones Pereira, as localidades não estavam em condições adequadas para o transporte escolar e para que produtos agrícolas fossem escoados. As frentes de trabalho da prefeitura estão realizando reparos como nivelamento e colocação de aterro nos pontos mais críticos, com a utilização de máquinas pesadas.

“Nós conversamos com produtores de laranja, limão e banana, que tiveram prejuízos diversas vezes, e garantimos que eles teriam como escoar a produção após o término das obras. Tudo isso tem sido feito fora do período chuvoso para que as nossas equipes não sejam prejudicadas. No próximo ano, os locais estarão em perfeitas condições para os moradores dessas comunidades”, assegurou Pereira.

O agricultor João de Deus, que há 26 anos mora na comunidade Boa Esperança, no quilômetro 120 da BR-174, relatou que vinha tendo prejuízos em sua produção. “Hoje, Presidente Figueiredo é o maior produtor de hortaliças do Amazonas, com mais de 200 toneladas por mês. Mas nós estávamos com dificuldades para transportar o nosso produto por conta da falta de infraestrutura”, relembra.

Ramais recuperados

O cronograma de trabalho foi definido pelo prefeito Romeiro Mendonça em conjunto com líderes comunitários. Na BR-174, os serviços de recuperação já passaram por alguns trechos, dentre eles, ramais Rumo Certo, Serragro e Nonata.

“Até dezembro, boa parte estará concluída, totalizando 400 quilômetros recuperados. O trabalho não para e, nesta semana, vamos estar na AM-240, numa comunidade do quilômetro 13”, adiantou o subsecretário.

Evitando prejuízos

“Há dois meses estava uma buraqueira só. Onde está arrumado foi onde a máquina que passou, para que os carros andem com mais fluidez e sem trazer problemas para nós”, conta o agricultor Antônio Zacarias, ao se queixar de problemas na suspensão do carro, causados pela falta de pavimentação no ramal do Pacu, no quilômetro 120 da BR-174. Segundo ele, o veículo foi consertado duas vezes, o que gerou um custo de quatro mil reais.

Ele lembra que a situação era precária, mas que agora ficou melhor para dirigir. “Até de moto era ruim, porque a gente saía de um buraco e entrava em outro. Deixava muito a desejar, mas com o serviço de agora ficou mais trafegável”, concluiu.

Por: ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO

Enjoy this blog? Please spread the word :)