“ANTENA VAGALUME”: Mototaxistas de Presidente Figueiredo aprovam antena sinalizadora

 
A “ANTENA VAGALUME” é um acessório de sinalização para mototaxistas criado por Raimundo Souza.
O “PACA”

Francisco Francelino de Souza é um paraense casado com D. Maria de Lourdes Maciel de Souza, com quem teve sete filhos sendo cinco mulheres e dois homens, que resolveu deixar para trás a difícil vida de agricultor na pacata cidade de Capitão Poco, para vir em busca da sorte numa localidade que depois passaria a se chamar Presidente Figueiredo. Desembarcou aqui, carregando a mulher e sua “ninhada” na busca de terra onde pudesse trabalhar na agricultura e dar vida digna a seus rebentos.

Em 1975 ao chegar por estas bandas, conseguiu um terreno no Km 150 da BR 174 e, posteriormente veio para mais próximo do que hoje é a sede municipal, num ramal que era conhecido como “Piçarreira”,  hoje chamado de Ramal do Urubuí. A agricultura e a carpintaria, eram as atividades exercidas por Sr. Francisco para o sustento de seu lar, sempre com o apoio e ajuda de suas pequenas crias.

O paraense logo se adaptou a esta encantadora região, ganhando aqui o carinhoso apelido de “Chico Paca”. Dentre os sete filhos, o caçula era o mais apegado ao pai e  o companheiro das andanças pelo vilarejo. Assim, Raimundo Nonato Maciel de Souza logo ficou conhecido como “Paquinha”, hoje um micro empresário dono de um salão de beleza e que,  como o nome ‘Paca” diz em sua origem tupi, significa atento, desperto e vigilante.

Assim é Paca, curioso desde a infância e a curiosidade engendra a exploração a investigação e o aprendizado. Essas características ficaram latentes quando por volta de dezesseis anos, o pequeno garoto do campo, em sua caminhada diária por vários quilômetros entre a escola e sua casa, parou para observar um tucano em todos os detalhes com a sensibilidade de um artista.

Paquinha ao chegar em casa com a imagem do pássaro viva em sua mente, buscou um pedaço de embaúba e esculpiu com perfeição, o que viria a ser sua primeira obra de arte, descobrindo assim, possuir este dom. O artesanato passou a fazer parte de sua vida, tornando-se uma nova fonte de renda deste precoce agricultor, agora na condição de artista.

A atividade artística foi sendo aperfeiçoada, logo passando a ser produzida em cerâmicas, tela e finalmente painéis em alto relevo, como pode ser comprovado em diversos trabalhos expostos nos murais de Presidente Figueiredo. Mas Paca não é só isso, sua curiosidade sempre o impulsiona a novos desafios, mesmo tendo a arte viva em seu coração. Nosso personagem é multitarefa, trabalhou como carpinteiro, pedreiro, pintor, barbeiro a dezessete anos e como ele mesmo diz: “Fazendo tudo bem feito com a sensibilidade de um artista”.

 “ANTENA VAGALUME”

A IDEIA: 

O olhar de um artista enxerga sempre um pouco mais, e foi assim que Paca pode perceber uma necessidade das pessoas que se utilizam dos serviços dos mototaxistas,  como meio de transporte. ele considera um constrangimento, acenar para um motociclista e este ao chegar perto, não se tratar de um condutor profissional. Ou então ao acenar para um mototaxista sem ninguém na garupa e este sinalizar que está ocupado. Ele mesmo passou por estas situações e isto despertou a vontade de criar um equipamento que pudesse sinalizar as situações do mototaxista em serviço.

Aproveitando que todo mototaxista tem que ter obrigatoriamente uma antena de segurança, que evite acidentes com linha de “cerol”, Paca criou um acessório adaptado à antena, utilizando pequenas lâmpadas de led, que sinaliza diversas situações no dia a dia de quem presta serviço de  transporte em motocicleta, principalmente à noite quando a visibilidade não é boa e ainda tem o farol da moto que ofusca a visão das pessoas. A antena foi acoplada uma luz verde e outra vermelha e são utilizadas desta forma:

Situações:

Caso I –  Mototaxista em meio a outras motos. Neste caso, facilita identificar quando em meio a várias motos está um mototaxista. A luz da antena estando verde é um mototaxista livre e  estando vermelha é um mototaxista ocupado;

Caso II – O mototaxista vem com a Antena na luz verde acesa, significando que está livre;

Caso III – O mototaxista vem com a antena na luz vermelha acesa, significando que está com passageiro;

Caso IV – O mototaxista vem com a antena na cor vermelha sem passageiro, significando que está ocupado indo atender um chamado de passageiro.

Assista o vídeo com as simulações de cada caso:

A “ANTENA VAGALUME” está em caráter experimental, sendo utilizada por quatro mototaxistas no município de Presidente Figueiredo, tendo sido comprovada sua eficácia, facilitando assim tanto para o passageiro como para o motorista.

Todo o processo de regularização junto aos órgãos de trânsito está tramitando, para que futuramente, passe a ser um acessório obrigatório aos prestadores de transporte em motocicletas.

Estudos estão sendo realizados com o intuito de minimizar custos de produção, visando que ela seja colocada no mercado a preços acessíveis.

Registro de Patente já foram solicitados, estando a documentação em processo de aprovação.

Paca agradece o apoio que tem recebido de todos por sua ideia, mas agradece especialmente aos mototaxistas, uma classe pelo qual tem muita admiração e parabeniza pelo belo serviço que prestam no município de Presidente Figueiredo.

A “ANTENA VAGALUME” pode até não ser uma ideia de gênio, mas certamente é uma ideia boa pacas!

Por: Bôsco Cordeiro e Kamila Ferreira

 

Enjoy this blog? Please spread the word :)