Caso Jéssica: Corpo é desenterrado com marcas de degola

O trágico fim da jovem Jéssica Cunha Alves, cujo crime começou a ser elucidado nesta segunda-feira, pela equipe de investigadores do 37 DIP do Município de Presidente Figueiredo, tendo a frente o delegado titular Dr. Valdinei Silva, que com o apoio da Polícia Militar conseguiu prender dois suspeitos, sendo um deles menor de idade e a localização do corpo da jovem, causou comoção na cidade principalmente por ser mais uma jovem moradora da terra das cachoeiras, perder a vida por envolvimento com o tráfico de drogas.

 

Jéssica Cunha Alves tinha apenas 23 anos e estava desaparecida desde às 03:00 horas da madrugada de domingo, quando deixou sua mãe amigos no Bar Muzenda`s, dizendo que iria para sua residência na garupa de um mototaxista mas que lá nào chegou, segundo informações de seu companheiro que a esperava. Desde então as buscas foram iniciadas, com apelos feito pelos familiares pelas redes sociais, buscando informações sobre o paradeiro da mesma. 

Uma informação ainda mantida em sigilo pelas autoridades policiais, para não atrapalhar as investigações do caso, levou até Jardel da Costa Oliveira, 35 anos e o menor K.C.J. de 17 anos. que indicaram onde se encontrava o corpo da jovem desaparecida. Por volta das 17:00 hs, os  policiais civis e militares foram até o local informado e lá encontraram uma cova rasa onde os mesmos afirmaram que a vítima estava enterrada. 

Rapidamente a notícia se espalhou na cidade e a área localizada no final da Av. Galo da Serra, no bairro de mesmo nome, em uma mata atrás do Colégio Municipal Deyse Lammel Hendges, começou a ficar ocupada por um numeroso grupo de curiosos e familiares de Jéssica. Sua mãe e Tia foram uma das primeiras a chegar ao local que já estava isolado pela polícia e mesmo diante das circunstância que levaram ao crime, caíram em prantos movidas pelo sentimento materno.

Os peritos do IML foram acionados para fazer a retirado do corpo e contaram com o apoio do Grupo GERSCI, da Guarda Municipal de Presidente Figueiredo, que desenterraram o cadáver confirmando as informações passadas pelos suspeitos, O corpo apresentava um corte na altura do pescoço, mas só o depoimento dos criminosos e o laudo pericial, poderá esclarecer de fato, a forma como a vítima foi executada.

Dr. Valdinei Silva, deu uma entrevista exclusiva ao Portal do Urubui, esclarecendo o caso, assista:

Vejam imagens do local onde o corpo de Jéssica Cunha foi encontrado: 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por: Bôsco Cordeiro

Enjoy this blog? Please spread the word :)