Esbam determina portaria com regras de vestimenta e causa indignação nos alunos

Norma proíbe uso de “shorts, camisetas, bermudas, chinelas, minissaias, tops ou roupas com decotes e transparências ousadas”

Publicada em abril do ano passado, a portaria da Escola Superior Batista do Amazonas (Esbam) que determina a impossibilidade de acesso às dependências da instituição com o uso de roupas inadequadas ao ambiente acadêmico entrará em vigor a partir do dia 4 de setembro deste ano.

Em sua página oficial no Facebook, a faculdade divulgou, na última sexta-feira (25), um comunicado alertando os alunos sobre a novidade. Na postagem, que teve 1,3 mil reações, 470 comentários e foi compartilhada mais de 1,3 mil vezes, os alunos mostraram indignação diante da situação.

Para Felipe Marques, de 25 anos, estudante do 2º período do curso de Administração, a portaria não deveria ser tão radical em suas limitações. “Ok eles proibirem uma garota de ir com uma blusa curta demais, ou decotada demais, mais daí proibir o uso de sandália? Já acho demais”, questionou ele.

Felipe Marques ressaltou ainda que apesar de não ser afetado pela nova regra, visto que não usa as roupas por ela proibidas, acredita que a instituição está se preocupando desnecessariamente.

O caso, que não ficou limitado às reclamações na rede social, virou pauta para uma reunião, a ser realizada amanhã, entre os representantes de classe e o diretor da instituição.  “Representantes de todas as turmas e cursos irão se reunir com a direção amanhã para discutirmos se esse é de fato o melhor caminho a ser tomado pela Esbam”, disse Luiz Felipe Matos, aluno e representante da turma A do 2º período de Direito.

“Todo mundo tem seus motivos para usar a roupa que quiser. Há tantas outras coisas que merecem mais atenção da direção, como o estacionamento pequeno, a falta de segurança, o elevador com defeito, ar condicionado que não funciona, pedaço do teto caindo, cheiro podre do banheiro, etc.”, completou Luiz Felipe.

Entendendo a Portaria

De acordo com a portaria, assinada pelo diretor Amós Alves Santos, a determinação tem base “no código de ética, na postura acadêmica e na filosofia e valores, e se estende para todos os acadêmicos, professores e funcionários” da Esbam de ambos os sexos.

Para o sexo masculino, fica proibida a entrada de pessoas trajando “shorts, camisetas, bermudas, chinelos, e bonés”. Já para as mulheres será proibida a entrada trajando “shorts, camisetas, bermudas, chinelas, minissaias, mini blusas (tops) ou roupas com decotes e transparências ousadas e inadequadas ao ambiente acadêmico”.

O objetivo da portaria, conforme Elaine Vieira, coordenadora de comunicação da Esbam, é garantir o bom funcionamento da instituição e a segurança de todos. “São roupas, como bonés escondendo o rosto dos alunos, que colocam a vida dos demais em risco, ou vestes inadequadas, como minissaias e decotes enorme mostrando partes íntimas, que devem ser evitadas”, disse ela.

A ação, conforme a coordenadora, tem caráter educativo e não punitivo, pois visa abordar e orientar os alunos na ética do dress code (“código de vestimenta”). “Se a pessoas não for corrigida, ela irá cometer os mesmos erros quando for um profissional. O que queremos é tornar o aluno o mais qualificado possível para o mercado de trabalho”, concluiu Elaine Vieira.

Fonte: http://www.acritica.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enjoy this blog? Please spread the word :)