Depois de 30 anos de espera, volante do Iranduba reencontra a mãe biológica

A volante Mayara Bordin, do Iranduba, viveu um momento surreal, na noite deste sábado (14), logo após a vitória do Hulk sobre o Penarol por 3 a 1. É que a jogadora foi adotada logo que nasceu e, após pedir ajuda para encontrar sua mãe biológica, conseguiram localizá-la, e hoje pôde conhecer a mãe, dar um longo abraço, protagonizando uma cena de pura emoção depois de 30 anos de espera.

“A gente tem muita coisa para conversar, mas agora só quero agradecer, vamos viver muitas coisas boas juntas. Eu tenho uma família maravilhosa, que minha mãe acabou me dando quando me deu pra a adoção, já que não poderia criar na época. Vamos sorrir agora, chega de chorar”, disse Mayara, muito feliz.

“Agora nós nunca mais vamos nos perder uma da outra, nós vamos ser felizes para sempre. Meu jeito com ela vai ser como se ela fosse bebê ainda, porque sempre sonhei em ter uma filha mulher, até queria adotar, mas meu filho nunca deixou, disse que eu tinha que encontrar a irmã dele de qualquer jeito, e agora nos encontramos”, disse a mãe de Mayara, Eulila, emocionada.

O diretor executivo do Iranduba, Lauro Tentardini, comentou com felicidade o reencontro das duas. “Bateu a coincidência da Mayara vir jogar em Manaus, coisa de Deus mesmo, e acabou conhecendo a mãe, por quem ela procurava há alguns anos, e que também a procurava, e já deve tê-la visto jogar alguma vez na Arena da Amazônia pela Seleção brasileira ou pelo Iranduba mesmo”, disse Lauro.

História

Mayara havia tentado encontrar sua mãe, sem sucesso, alguns meses atrás, através de uma tia que ainda mora no Pará. “Ela queria encontrar e agradecer a mãe por ela ter tomado essa decisão de entregá-la para a adoção, já que a Mayara foi criada com muito amor pelos pais que a adotaram, lá no sul do Brasil”, afirma Lauro.

A mãe natural de Mayara é de Belém do Pará, se chama Eulila, e foi encontrada depois que a jogadora teve a informação de que sua mãe estaria em Presidente Figueiredo, e pediu ajuda a Lauro Tentardini, para finalmente encontrá-la.

“Essa missão começou uma semana depois que acertamos com a Mayara. Ela pediu para falar comigo, mas viu que eu estava ocupado, não quis falar naquele dia, e eu achei que fosse alguma questão referente à transferência dela, mas não, ela me falou que era adotada, e que a última notícia que tinha da mãe dela é que ela estaria em Manaus, e perguntou se eu acreditava que seria possível achá-la, e eu, com esse meu otimismo, disse que seria fácil (risos)!”, disse Lauro.

E foi mesmo, porque menos de um mês depois, a mãe de Mayara foi encontrada.

“Ontem, pela manhã, a gente, com alguns amigos, viu o que poderia fazer; fomos atrás, e a encontramos na Cidade Nova, morando com o filho”, conta Lauro.

Esse filho, irmão da jogadora, e sua mãe haviam ido a Belém, dois anos atrás, tentar encontrar Mayara também, que foi entregue para a médica Maria de Lourdes intermediar uma adoção, segundo a mãe de Mayara. Maria foi quem fez o pré-natal e o parto do bebê que viria a adotar, em segredo, após saber a história da moça (mãe de Mayara), que trabalhava em uma casa de família, que não aceitava funcionárias com filhos. “Ela disse que tinha uma pessoa interessada na criança, mas a pessoa era ela mesma. Depois de alguns dias, me arrependi de ter dado minha filha, e quis encontrá-la, mas a médica se recusou a dizer quem a tinha adotado”, afirmou Eulila.

Sobre a busca à mãe de Mayara, Lauro explicou como matou a charada. “A minha dúvida ficou porque eu achei que a Mayara tivesse nascido em Santa Catarina, mas ela me explicou que não, que morou em Belém até os quatro anos de idade, e quando perguntei qual era o nome da mãe por quem foi adotada, ela disse Maria de Lourdes Bordin, e aí todas as informações se fecharam”, contou.

Fonte: http://www.acritica.com/channels/esportes/news/volante-do-iranduba-reencontra-a-mae-biologica-apos-xx-anos

Enjoy this blog? Please spread the word :)