Só a lamentar! Súmula juvenil cita surra, ameaça de morte e juiz acuado no vestiário

Só a lamentar! Súmula juvenil cita surra, ameaça de morte e juiz acuado no vestiário

Final do Amazonense entre Sul América e Nacional acabou com jovem no hospital após ser espancado no gramado. Árbitros foram agredidos e acuados por torcida, que invadiu o campo

 

Só a lamentar! Súmula juvenil cita surra, ameaça de morte e juiz acuado no vestiárioSó a lamentar! Súmula juvenil cita surra, ameaça de morte e juiz acuado no vestiário

 

Jogador agredido Amazonas (Foto: Divulgação)Jogador agredido Amazonas (Foto: Divulgação)

Jogador agredido Amazonas (Foto: Divulgação)

Os causos foram muitos: o suficiente para preencher 13 laudas e prolongar em dois dias a publicação. O árbitro principal Ivan da Silva Guimarães Júnior, inclusive, não foi capaz de escrever tudo sozinho. Os dois assistentes, além do quarto árbitro, também contriburiram na hora de informar os incidentes.

O que foi relatado pelo árbitro

Ninguém teve a mão mais cansada que o árbitro principal. Em duas páginas, Ivanzinho notificou a provocação do Sul América no momento do gol do título. Ele também informou a agressão do técnico do Nacional, Robson Garanha, ao zagueiro do rival, Mateus Galvão, que até acabou hospitalizado. Ivan, porém, só não transmitiu maiores informações porque foi forçado a entrar no vestiário antes do apito final. Ele foi ameaçado por torcedores, que depois de invadirem o campo, tentaram o agredir. Após fechar a porta, ouviu pessoas chutarem, baterem e tentarem arrombar a entrada. A situação só foi acalmada quando o policiamento chegou.

 

Carro de árbitro foi riscado (Foto: Divulgação)Carro de árbitro foi riscado (Foto: Divulgação)

Carro de árbitro foi riscado (Foto: Divulgação)

>> Informo que aos 40 + 3 do 2º t, após o gol da equipe do Sul América feito pelo jogador de nº08, o sr. Uillivan Nascimento Jesus, o jogador de nº 11, o sr. Herisson Gabriel de Oliveira Pereira, da equipe do Sul América, tirou sua camisa para comemorar o gol e foi correndo em direção do banco de reservas e da torcida do Nacional e fez o seguinte gesto com seus dedos médios, mostrando de forma obcena (cotoco), e também proferiu as seguintes palavras: “vão tomar no cú”. Com isso, o técnico da equipe do Nacional, o sr. Robson Ferreira da Silva, invadiu o campo, correndo em direção a este atleta, para tentar agredi-lo, fato que não ocorreu, pois o jogador n 04, o sr. Matheus Rodrigues Galvão, da equipe do Sul América, tentou impedi-lo, mas foi recebido com um soco e tapas pelo treinador do Nacional, que também foi agredido pelo senhor Rafael Costa Magalhães, nº 02 da equipe do Sul América, com um murro no rosto e um empurrão na altura do peito, que o derrubou, assim formando uma confusão generalizada, onde vários jogadores e comissão técnica de ambas as equipes se envolveram.

>> Informo que não foi mostrado cartão vermelho para os jogadores envolvidos na confusão e excluidos membros de ambas comissões técnicas, pelo fato de eu ter me dirigido para o vestiário de arbitragem quando vi e fui informado que vários torcedores da equipe do Nacional estavam descendo e pulando as arquibancadas para dentro do campo do jogo, gritando e falando as seguintes palavras para mim: “tu é o culpado de tudo isso filho da puta, ladrão, safado, tu vai morrer hoje, tu não vai sair daqui vivo”. Após estar dentro do vestiário sem a minha equipe de arbitragem, pois o foco dos torcedores era em mi, os mesmos chutaram, empurraram e bateram em ambas as portas, com intuito de arrombarem para me agredir, conforme já tinham me ameaçado. Fato que só foi contido após a chegada de policiamento no local da partida.

>> Informo que após o ânimos se acalmarem, os torcedores da equipe do Nacional foram embora. Fui em direção a meu carro para também ir embora, mas ele estava marcado com atos de vandalismo, riscado com marcas de ferro com as seguintes palavras: “Ladrão FDP” e também com o pneu furado.

>> Informo também que o jogo foi encerrado faltando 2 minutos para o fim do acréscimo do 2º tempo, em virtude de não haver mais condições de continuar a partida.

Assistente número 2 relata covardia

Após Ivan encaminhar-se para o vestiário, os assistentes passaram a observar os incidentes. Odenislon Ferreira Monteiro, inclusive, informou a covardia que ocasiou o nocaute e hospitalização do atleta Matheus Galvão, do Sul América. Ele contou que, além do técnico, pelo menos outros cinco jogadores agrediram o defensor, principalmente com chutes na cabeça.

>> Informo ao árbitro da partida, Ivan da Silva Guimarães Junior, que durante a confusão generalizada, os senhores Lucas Rosos Cardoso Neto, Lucas Melo de Azevedo, Hugo Walmir Braga Valente, Kalil de Oliveira Bonfim e Felipe Ibiapina Pereira Caravlho, todos da equipe do Nacional, agrediram fisicamente o senhor Matheus Rodrigues Galvão, da equipe do Sul América, com Chutes e Socos.

Assistente 1 relata briga generalizada

Ivo Fernando da Costa de Souza foi outro que acompanhou de bem perto a briga generalizada. Ele informou as agressões de ambas partes e destacou como um dos jovens terminou apagado no gramado.

>> Informei ao árbitro Ivan da Silva Guimarães Júnior que o senhor Matheus Rodrigues Galvão, nº 04 da equipe do Sul América, foi atingido com socos e chutes pelos senhores Hugo Valmir Braga Valente, Thomas Vinícius Almeida Nunes, Victor Emanuel V. da Silva, todos da equipe do Nacional. Quando o senhor Matheus Rodrigues Galvão caiu no chão, o senhor Robson Ferreira da Silva, técnico da equipe do Nacional, o atingiu com dois chutes na região da costela e a cabeça do mesmo.

>> Informei também que o senhor Rafael Costa Magalhães, nº 2 da equipe do Sul América, deu um pisão atingindo o senhor Hugo Walmir Braga Valente, nº 03 da equipe do Nacional, na altura do peito. Durante a confusão o senhor Lucas da Silva Sena, nº 07 da equipe do Sul América, também se envolveu atingindo alguns jogadores do Nacional com socos e chutes.

Quarto árbitro é vítima de agressão

Os ânimos estavam exaltados. Prova disso foi a agressão ao quarto árbitro Carlos Augusto Santos de Souza. De acordo com, torcedores e, posteriormente, até um jogador do Naça, o agrediu com pandeiro de bateria.

Eu, Carlos Augusto Santos de Souza, 4º árbitro da partida, entre Sul América e Nacional, fui atingido por um pandeiro jogado pela torcida do Nacional após o gol do Sul América, sendo que o jogador número 11 da equipe do Nacional, o sr. Andrell da Silva Castro, ainda tentou me acertar com o mesmo.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/am/futebol/noticia/futebol-sumula-juvenil-cita-surra-ameaca-de-morte-e-juiz-acuado-no-vestiario.ghtml#HOME-ESPORTES-user-sel-23,editorial,38192236744

Enjoy this blog? Please spread the word :)