Caso Maicon: Declarações da polícia de Balbina e da própria vítima, inocentam assessor de Ricelli

A acusação feita pelo Sr. Maicon Andrette, através das redes sociais e registradas na delegacia de polícia do município de Presidente Figueiredo-Am, dando conta de que havia sido vítima de uma agressão por parte de um assessor parlamentar do vereador Ricelli Pontes, com um tiro disparado contra seu veículo, não procedem de veracidade de acordo com as informações repassadas pelos policiais da Vila de Balbina, que fizeram a ocorrência na hora em que o fato aconteceu e nem mesmo nas declarações da própria vítima em seu depoimento.

O fato aconteceu na madrugada de domingo(27), por volta de 00:30hs, quando o acusador foi “fechado” por um veículo tipo Gol de cor branca, de onde desceram três homens armados e dispararam um tiro provavelmente de bala de borracha, que atingiu o vidro de seu carro estilhaçando. Após o ocorrido, a vítima procurou a polícia local para registrar o incidente e em seguida, foram em busca de localizar o gol branco e seus ocupantes. Por volta das 3:00hs, foi localizado um veículo com as mesmas características mas com placa de identificação divergente da denunciada pela vítima. Este veículo estava estacionado em uma casa de um parente do vereador Ricelli Pontes, não tendo sido reconhecido pela autoridade policial como o veículo envolvido no fato, conforme seu próprio relato: “mais a cor era branco mais o número da placa não batia com aqui a vítima junto com algumas testemunhas teria afirmado, segundo o proprietário da casa o motorista pois sedo da noite o carro lar e saiu levando a chave e que ele não saberia o paradeiro dele”.

Em seu depoimento, Maicon afirma não ter visto o assessor parlamentar entre os agressores, fato este que fez com que tanto o acusado como o veículo que já vinham sidos detidos, fossem liberados desqualificando qualquer tentativa em envolver o vereador Ricelli Pontes e seu assessor da ocorrência policial.

Maicon Andrette: “o declarante afirma também, que não sabe quem eram essas pessoas. Que o declarante informa que pegou junto aos guardas da portaria da Vila de Balbina o nome e o RG de quem supostamente teria com o carro na Vila, o Sr. FELIPE BRUCE. Que o declarante afirma que conhece o FELIPE BRUCE somente de vista da cidade de Presidente Figueiredo e que nunca teve nem um desentendimento.”

Por: Bosco Cordeiro

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enjoy this blog? Please spread the word :)