No AM, menina sai para usar internet e acaba morta pelo primo

 

O homem confessou o crime e disse que vendeu o aparelho por R$ 100 para comprar drogas. O corpo ainda não foi localizado

 
Taís Rodrigues tinha apenas 16 anos. O primo preso (no canto direito da imagem) sendo conduzido por policiais | Foto: Divulgação

Itacoatiara – Fernando Rodrigues Teixeira, de 29 anos, foi preso, nesta terça-feira (14), suspeito de matar a própria prima, a adolescente Tais Rodrigues, que tinha 16 anos. O crime aconteceu na comunidade rural Benjamin Constant, Zona Rural de Itacoatiara (município distante 176 quilômetros de Manaus). A vítima estava desaparecida desde o dia 31 de março, quando saiu de casa para usar o sinal de internet móvel nas proximidades da residência do suspeito.

Conforme a Polícia Civil do município, até hoje o corpo da adolescente não foi encontrado. Entretanto, Fernando confessou o crime e informou que aplicou um golpe de mata-leão na vítima e jogou o corpo dela em uma área de pedreira e de forte correnteza no rio da cidade.

O suspeito ainda relatou à polícia que cometeu o assassinato para roubar o celular de Tais, mas a família da garota suspeita que ele também teria a estuprado, pois Fernando possui histórico e outras denúncias de abusos sexuais contra outras mulheres na comunidade.

 
 
| Foto:

Apesar do corpo de Tais ainda estar desaparecido, a família se diz confortada com o depoimento do suspeito. “Passamos 16 dias procurando por ela, fomos em todos os lugares possíveis, casas abandonadas e até dentro da mata fechada e não a achamos. É revoltante, ainda temos dúvidas principalmente do que ele realmente fez com ela”, lamentou uma prima da vítima, que pediu para ter a identidade preservada.

A prisão

Após notícia do desaparecimento da menor, uma equipe de policiais civis de Itacoatiara foi até à comunidade para iniciar a investigação. Na manhã de terça-feira, os investigadores foram informados que Fernando havia vendido o aparelho celular da vítima na comunidade São José do Amacari. Então, a equipe policial voltou ao local do fato e conseguiu recuperar o celular que havia sido vendido pelo suspeito.

A menor foi até o local por volta das 18h do dia 31 de março e não retornou para casa.

Em depoimento, o suspeito confessou que, após ter praticado o latrocínio, ele levou o corpo da adolescente até um local de grande correnteza d’água, onde o jogou. O cadáver não foi localizado até o momento devido às características do local.

| Foto:

Fernando informou, ainda, que vendeu o celular por R$ 100 e depois comprou bebida alcoólica e drogas para consumo. Ele foi levado para a Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Itacoatiara, onde foi autuado pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.

//d.emtempo.com.br/

error

Enjoy this blog? Please spread the word :)