TIME SUB-15 DA VENEZUELA SUPERA, CANSAÇO, FOME, FALTA DE GRANA E LEVA TAÇA DE CAMPEÃO DA COPA DAS CACHOEIRAS

“…enganavam a fome comendo pão pois queriam muito participar dessa competição”

Neste último fim de semana, foi realizada no Município de Presidente Figueiredo, a 5ª edição da Copa das Cachoeiras, maior competição do futebol de base do Amazonas, que este ano, contou com a participação de times do Amazonas, Roraima, Pará, Venezuela e Guiana. Foram três dias de disputas emocionantes que chegou ao seu final com vitória do time do Guerreirinhos de Manaus na categoria SUB-13, Monagas da Venezuela na categoria SUB-15 e Nacional de Manaus na categoria SUB-17.

Sem desmerecer os outros times, o grande destaque da competição acabou sendo o time venezuelano, não só pelos grandes desafios em superarem os adversários dentro de campo, mas principalmente pelas dificuldades que tiveram de superar desde a saída da cidade de Maturin, até a chegada na Terra das Cachoeiras.

Após receberem o convite, os dirigentes do Monagas fizeram uma reunião com o pai dos atletas e conseguiram a autorização para que viessem participar da competição, mesmo diante das dificuldades econômicas pela qual passa o país vizinho. Da cidade de Maturin até Santa Helena foram 18 horas de viagem, onde tiveram que passar pelo serviço de imigração e tomarem as vacinas necessárias para cruzarem a fronteira em direção a Presidente Figueredo.

Teriam que viajar mais 20 horas, até chegar em Figueiredo no dia anterior a competição iniciar, para que pudessem descansar e enfrentar o primeiro adversário. A demora do serviço de imigração e as dificuldades da estrada, onde cruzaram a área de reserva indígena durante à noite, tendo inclusive se deparado com uma onça na pista e muitos buracos, atrasaram a viagem fazendo com que chegassem apenas a duas horas antes da primeira partida.

Fora o cansaço, durante a viagem, tiveram recursos para apenas um almoço e enganavam a fome comendo pão pois queriam muito participar dessa competição e para isso,  valia qualquer sacrifício. Empataram a primeira partida, quando então puderam ir ao hotel e realizarem a primeira refeição oferecida pelos organizadores e desfrutar de um breve descanso.

No segundo desafio, veio a primeira vitória e os ânimos cresceram e um novo empate na terceira partida, levou o time à disputa do título da categoria. Na final, um novo empate contra o time manauara do Guerreirinhos, levou a decisão para os pênaltis e a consagração da equipe do Monagas saindo vitorioso levando todos os jogadores e delegação a uma emocionada comemoração com direito a muito choro.

Foi então que veio o momento mais marcante desta equipe na Copa das Cachoeiras, antes da premiação com medalhas, troféu, bolas e equipamentos oferecida pelos organizadores, Mozart idealizador e coordenador do evento, falou a todos das dificuldades que os venezualanos superaram mais que ainda tinha uma batalha a ser vencida…o Monagas não tinha recursos para a viagem de volta e então uma cota foi realizada ali mesmo e repassada à equipe campeã. 

Este gesto de solidariedade deixou todos comovidos, especialmente a delegação do país vizinho que não conseguia conter as lágrimas. Foi então realizada a premiação onde além do título de campeão, o Monagas conseguiu eleger o melhor goleiro e o melhor jogador da categoria e também, o melhor goleiro da competição.

Para Mozart Carlos Lopes, Francisco Carioca e Ranner Dias, coordenadores do evento, o título conquistado pelos venezuelanos, simboliza a coroação do trabalho nestas cinco edições da copa, e que certamente servirá de motivação para que na próxima edição, certamente com os apoios necessários que não vieram nessa edição, times de outros estados e países, estarão presentes na competição.

Por: Bosco Cordeiro e Lucas Santos

Fotos: Jéssica Fernandes e Kamila Ferreira

 

 

Enjoy this blog? Please spread the word :)